Ser avoh...

Ser avoh...
Minha irmã Melinha postou: "Esperando feliz o novo membro da familia que tá chegando daqui uns meses..." e me inspirou à criação desta página.

segunda-feira, 22 de março de 2021

CASA DE VÓ...

 

 


Tenho uma irmã que tem um talento  maravilhoso em decorar ambientes.

Ela deixa qualquer lugar bonito e acolhedor, chique sem ser “falso”, prático e ao mesmo tempo cheio de charme.

Outro dia, andando pela rua após uma noite de pizza e sorvete vimos algumas casas e ela se deparou com uma e exclamou: Essa é uma casa de vó!

Rimos todos, mas eu fui andando e pensando... até que depois de analisar bem, falei em voz alta: EU tenho uma casa de vó, gente!

E o que é  uma casa de vó? perguntariam vocês.

Para mim é  aquela casa onde as coisas não mudam muito, sabe?  Permanecem mais ou menos no mesmo lugar por bastaaaante tempo.

Não foi de propósito que minha casa se tornou uma casa de vó, lógico! Aliás o motivo é bem outro.  Admito que em mim falta o dom que na minha irmã sobra!!!

Por isso, as coisas por aqui demoram um bocadinho para se alterarem. Além do que, eu gosto muito de objetos que tenham valor estimativo  e me contento e me sinto feliz em olhar para eles dia após dia.

Mas, o interessante é que depois deste episódio comecei a notar e a me lembrar de como as netinhas se comportam aqui em casa.

Elas chegam e já sabem o lugar das coisas. (Mesmo não vindo tanto aqui como eu gostaria)

Outro dia, a Anna e a Lia chegaram e enquanto eu dava atenção ao seu pai, o filho #1, elas já apareceram na sala com as sapatilhas antiderrapantes que mantenho para uso delas numa gaveta x. Os brinquedos continuam dispostos onde possam pegar divididos por “categoria” e quando vão embora já sabem onde e como guardar. E elas fazem tudo isso sem que eu tenha combinado com elas. É natural a desenvoltura delas por aqui.

O meu quarto é o lugar onde as mais velhas se “escondem” das mais novas para terem seu momento e o quintal e o entorno da casa é sinônimo de aventura para as mais novas.

E isso me faz feliz e completa. Pode parecer bobagem, mas são coisas pequenas assim que me impulsionam, mesmo que o entorno da vida não esteja ajudando muito. São coisas simples como essas que me fazem acordar e agradecer ao meu Deus a Sua infinita Graça!

Quero que cada pedacinho do meu lar seja "descoberto" e muito usado por elas. Afinal, para isso é que serve uma casa de vó! Não é não? 

Júlia, Anna, Camila, Lia, Talita e quem mais vier: A casa não é da vó. É nossa!

Com amor

Voh Nil <><<


Obs.: Que fique claro que também acho que uma casa que muda sempre como a da minha irmã tem suas vantagens. É uma eterna aventura para todos!!! Principalmente porque ela sabe como fazer do seu cantinho um refúgio para quem precisar. Sempre.

5 comentários:

  1. Nil... adorei seu texto!
    Enxerguei a casa da minha mãe, com os olhos da minha sobrinha caçula, que no início desse mês apresentou o TCC pela FAU. Ela elaborou um livro intitulado: "Casa de Vó", baseado no apartamento da vó, em Poços. Vou te mandar o link.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bom que gostou! Que linda coincidência, não? Vou ler! bjs <><<

      Excluir
  2. Que lindo,Nil!!!
    Verdade,casa de vo é aquela que “abraça”os netos quando chegam,que tem aquele gostinho de “Ah!queria ficar mais...”,sua casa é tudo isso,assim como seu coração!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Linda! Obrigada por me ensinar um pouquinho da arte de acolher! Bjbj

      Excluir
  3. A minha casa é um pouco mais caótica ou os objetos ficam anos no mesmo lugar. Enfim netos gostam. É o que interessa.

    ResponderExcluir